4 videoaulas

Apostila com 433 páginas

80 atividades

Certificado de 40 horas

Descrição do Curso

Estude no seu tempo e de onde quiser!

Curso Completo do Português Lógico online permite que você aprenda sem sair de casa, onde você estiver e quando quiser. Idealizado para premiar quem, pensando em se preparar muito bem a qualquer concurso e à vida, almeja ver a Língua Portuguesa no seu todo, levou-se em consideração também a possibilidade de otimização do tempo e a praticidade no estudo.

O professor

Didática perfeita, humor invejável e conhecimento pleno fazem do professor Ironi Andrade o profissional mais requisitado de todo o país!

Com mais de 45 anos de profissão, ele tem experiência de sobra na elaboração de provas a concursos públicos e a vestibulares, em treinamentos a órgãos públicos e a empresas privadas, em preparatórios a concursos e em cursos pré-vestibulares.

A quem se destina o Curso Completo do Português Lógico?

A vestibulandos e enenzeiros

Todos que se preparam ao ENEM e a vestibulares e sabem da importância do idioma na avaliação final encontrarão em nosso método seu “porto seguro”.

A concurseiros

Há muito tempo a conquista da tranquilidade que um bom cargo público garante passa pela boa preparação que oferecemos.

Profissionais

Profissionais das mais variadas áreas de atividades humanas – magistrados, representantes do MP, procuradores, executivos, professores, palestrantes, estudantes de todos os níveis, cidadãos simplesmente amantes do idioma –, enfim, todos aqueles que prezam o falar e o escrever bem socorrem-se nos conhecimentos e na perfeição didática do professor Ironi Andrade.

Assista ao vídeo

Aula Grátis

Clique no botão ao lado, preencha o formulário e tenha acesso, totalmente grátis, à primeira aula:

Depoimentos

Diferençais

O que você vai aprender?

Este vídeo, o primeiro do módulo II de nosso Curso Completo do Português Lógico, propiciará que você revire as entranhas de num novo e maravilhoso campo de estudos acerca do idioma pátrio.

No Módulo I, estudamos tudo o que dizia respeito a sons, isto é, em fonemas, letras, sílabas e vocábulos (parte atinente à acentuação gráfica), estudamos a parte sonora da Língua Portuguesa.

Agora, no Módulo II, todo ele calcado na frase – quinto degrau de nossa maravilhosa Escada do Português Lógico –, veremos como os vocábulos se estruturam, se formam e se classificam. Isso mesmo: trataremos, a partir daqui, da estrutura, da formação e da classificação dos vocábulos, conteúdos que formam a morfologia, segunda parte do estudo gramatical.

Neste primeiro vídeo do módulo – Tudo sobre a Morfologia –, abordaremos a estrutura das palavras, isto é, veremos quais elementos podem-se agrupar para se formarem palavras.

Você perceberá, a partir daqui, que as palavras não surgem do nada, não caem prontas das nuvens, não são criação divina. Existem, na verdade, elementos – radical, afixos (prefixo e sufixo), vogal temática, vogais e consoantes de ligação, desinências (verbais e nominais) – que, adequadamente estruturados, nos abastecem dos vocábulos necessários à expressão de nossas ideias.

Aliás, poucos sabem, nos dicionários – e assim também no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) – figuram tão somente os vocábulos reiteradamente utilizados pelos mais diversos níveis de pessoas, mas não todos os vocábulos do idioma pátrio, pois isso seria humanamente impossível. Com o prefixo super, só para exemplificar, nós já poderíamos montar um novo dicionário: superpai, supermãe, superamigo, super-relógio, super-homem, supersensível, e por aí afora. Afinal, desde que de forma tecnicamente correta, podemos combinar elementos estruturadores de palavras para formarmos todos os vocábulos necessários a fim de que nenhum de nossos sentimentos fique sem uma representação vocabular. Interessante, não?

Pois bem, a partir daqui, foco total na estrutura dos vocábulos, que isso nos garantirá, depois, uma passagem tranquila pelo conteúdo do segundo, do terceiro, de todos os vídeos do campo morfológico da Língua Portuguesa.

Bom proveito, pois!

Neste vídeo, em que falaremos sobre a formação dos vocábulos, você também se surpreenderá com o que meus milhares e milhares de alunos sempre chamaram de engenharia gramatical. Sim, você verá que, como palavras não caem das nuvens, tampouco são criação divina, elas vão-se formando a partir de um trabalho arquitetônico fantástico, que passa a ser automaticamente articulado por nossa incrível atividade cerebral.

Já faz algum tempo, e por isso talvez você não se lembre ou sequer tenha tido conhecimento do episódio, um ex-ministro, inquirido sobre a possibilidade de haver confisco dos depósitos em cadernetas de poupança, deu esta resposta: “A poupança é imexível”. Como era um trabalhador humilde, que havia cursado apenas o ensino médio, e estava ministro, despertava muita inveja. Logo, logo, sua declaração tornou-se motivo para chacota nacional. O que ocorreu, pouco esclarecidas, as pessoas foram ao dicionário a fim de ver se tal vocábulo “existia” e, por natural, ele não constava no popular “amansa-burros”.

Bem, isso bastou para os brasileiros, pouco letrados, darem início à gozação, e a chacota tomar conta do país, de sul a norte, de leste a oeste.

E daí, qual a moral da história? Pois o ex-ministro procedeu exatamente como deveriam proceder tantos quantos não encontram um vocábulo já pronto para exteriorizarem suas ideias: criou-o! No caso específico, ele lançou, sabiamente, mão do radical mex (de mexer), do prefixo im (negação), da vogal de ligação i e completou sua perfeita obra arquitetônica com o sufixo vel. E daí resultou o vocábulo de formação irretocável imexível, de que ele precisava para exteriorizar seu pensamento.

Pois bem, com o exemplo acima deve ter ficado bem claro a que se destina esta aula sobre formação de palavras: estudar os processos que envolvem a criação de vocábulos novos (necessários!) a partir da reunião dos elementos estruturais das palavras, estudados na aula anterior.

E será assim que, no plantar-colher, seguiremos, em passos firmes, e degrau a degrau, a subida, até o topo, de nossa Escada do Português Lógico.

Lembre-se: nada se ensina, acaso o ensinamento não tenha uma aplicação útil. Então, assista ao vídeo, estude pela apostila e prepare-se cada vez melhor para aquilo que está por vir, que será nosso porvir!

Na aula de hoje, iniciaremos a abordagem do terceiro assunto da morfologia, essa que é a segunda parte da gramática da Língua Portuguesa. Nela, daremos sequência – já que o Português, como já se pôde ver, é sequencial e lógico – à série estrutura, formação e classificação das palavras. Sim, estudada a estrutura – elementos formadores dos vocábulos – e a formação – processos de articulação daqueles elementos para a montagem dos vocábulos –, é chegado o solene momento de, a um só tempo, desbravarmos os mistérios que envolvem a identificação das classes gramaticais e, com isso, entendermos o assunto mais importante do estudo de todo o idioma.

Em minhas mais de quatro décadas e meia de estudos e de ensino da Língua Portuguesa, aprendi, ensinando, muitas coisas, descobri outras tantas e, creio, tudo isso me propiciou chegar a uma incontestável verdade: na equivocada compreensão das classes gramaticais reside a grande dificuldade do ensino e da aprendizagem do Português.

E minha convicção permite garantir mais: enquanto não for zerado tudo e dado novo início a essa parte tão importante do conteúdo, ninguém terá segurança e, por consequência, conseguirá dominar minimamente a Língua Portuguesa. Por que tanta convicção? Ora, a resposta chega a ser pueril: simplesmente porque o assunto é visto, e consequentemente ensinado, de forma totalmente equivocada e, o pior, porque dele depende a compreensão de mais de dois terços de todo o conteúdo relativo ao idioma pátrio.

E o mais grave dessa aterradora catástrofe é que esse verdadeiro festival de erros, nesta fase dos estudos, põe a nocaute a compreensão de tudo o que ainda está por vir nos degraus que se sucederão em nossa Escada do Português Lógico: regência verbal, regência nominal, crase, análise sintática interna, concordância verbal, concordância nominal, vozes verbais, colocação pronominal, análise sintática externa e pontuação, conteúdos do Módulo III de nosso Curso Completo.

Assista, pois, várias vezes a este vídeo, leia e releia a parte teórica e, depois, faça todos os exercícios da apostila que digam respeito ao substantivo, ao adjetivo e ao advérbio, que são os NOMES, em Língua Portuguesa.

Agindo assim, você estará preparando-se bem para encarar a parte nominal do idioma: regência nominal, concordância nominal, predicado nominal, complemento nominal, adjunto adnominal, e assim por diante.

Vistos os elementos estruturadores dos vocábulos, verificados os processos formadores das palavras, na aula passada iniciamos o estudo das classes gramaticais.

No vídeo de hoje, completaremos o estudo – a identificação – das demais classes.

Já vimos, até agora, os nomes, isto é, o substantivo, o adjetivo e o advérbio, que virão à tona sempre que o vocábulo nominal aparecer diante de nossos olhos, fustigar nossas orelhas ou simplesmente povoar nossa imaginação.

Prosseguindo, veremos, primeiramente, o verbo – responsável pelo conteúdo verbal do idioma: regência verbal, predicado verbal, concordância verbal, complementação verbal, e por aí afora. Depois, invadiremos o território do artigo, do numeral, do pronome, da preposição, da conjunção e da interjeição, classes complementares que determinam, modificam, são exigidas ou substituem verbos e nomes.

Pois bem, talvez você nem imagine, mas, nas palavras acerca do estudo da classificação das palavras, todo o conteúdo que ainda nos resta – e é a maior parte dele – e que maior inquietação provoca entre professores e entre estudantes – a sintaxe – foi citado.

Uma vez dominadas as classes gramaticais, será muito fácil, por exemplo, entender o que é adjunto adverbial (o advérbio ou a locução adverbial da morfologia), adjunto adnominal (os determinantes do substantivo, sempre, e o modificador dele, quando estiver junto), predicativo (o adjetivo quando não estiver junto do substantivo), e assim por diante.

Assista, então, tantas vezes quantas lhe parecer necessárias ao vídeo, estude bastante pela apostila e não deixe de fazer nenhum exercício. Afinal, com isso, você não estará simplesmente estudando, mas, sim, investindo na compreensão naquilo que nunca lhe foi de fácil domínio.

Garantia de

Sete dias de garantia

dias ou seu dinheiro de volta!

Ficou com alguma dúvida sobre o curso?

O Método do Português Lógico, criado pelo professor Ironi Andrade, é uma técnica exclusiva e revolucionária de ensinar, aprender e apreender o idioma pátrio, tudo de forma sequencial, lógica, reflexiva, simples e fácil.

As aulas poderão ser acessadas pelo período de um ano após o recebimento de sua senha, que lhe será enviada tão logo a plataforma identifique o respectivo pagamento.

Sim. Você não precisará deixar o conforto de seu lar a fim de assistir às aulas. Os vídeos a serem disponibilizados foram produzidos por profissionais de larga experiência a fim de garantir dinamismo na exposição, garantia de compreensão de conteúdos e qualidade na exibição de imagens. Tudo isso foi feito para que você, sem o incômodo de deslocamentos, estude onde, como e quando quiser.

Não, não será possível fazer download das aulas, mas você poderá assistir a elas, quando e onde quiser, acessando nossa plataforma exclusiva.

Sim, é possível que você assista às aulas com o uso de qualquer dispositivo móvel.

O pagamento do Curso pode ser feito nas seguintes modalidades:

a)     boleto bancário à vista (o acesso ao Curso é liberado em até três dias úteis); e

b)     cartão de crédito (o acesso ao curso é liberado em até três horas).

Você pode solicitar o cancelamento do Curso até 7 dias depois da liberação do acesso à plataforma.

Nas (pouquíssimas) vezes em que aparece a expressão “vagas limitadas” o objetivo é informar que, para um melhor aprendizado aos alunos, o professor Ironi Andrade limita o número de vendas para poder dar um atendimento mais eficiente a todos os clientes e garantir que a plataforma permaneça estável.

Sua dúvida não está em nosso FAQ? Então, envie-a para nós: